14.2 C
Caminha Municipality
Sexta-feira, 24 Maio, 2024
spot_img
InícioDistritoCaminhaCaminha: Buscas por pescador lúdico desaparecido em Moledo alargadas até praia de...

Caminha: Buscas por pescador lúdico desaparecido em Moledo alargadas até praia de Afife

As buscas pelo pescador lúdico de 70 anos desaparecido em Caminha foram hoje à tarde alargadas, decorrendo entre as praias de Moledo e Afife com o envolvimento de 30 operacionais, disse o capitão do porto de Caminha.

“Em colaboração com o capitão do porto de Viana do Castelo, as buscas, que decorriam entre a praia de Moledo e a do Forte do Cão [concelho de Caminha], foram alargadas para sul, até à praia de Afife [concelho de Viana do Castelo]. Também em profundidade vamos até às seis milhas, cerca de 12 quilómetros da costa”, afirmou o também comandante da Polícia Marítima, Vieira Pereira, num ponto de situação feito pelas 15:30 aos jornalistas em Moledo, Caminha, distrito de Viana do Castelo.

O responsável indicou que cerca de 30 operacionais participam nas buscas pelo homem que praticava “pesca lúdica” a pé e que foi dado como desaparecido na segunda-feira pelas 21:00, por um familiar, dando conta de que não regressou a casa”, de acordo com informações dadas esta manhã pela Autoridade Marítima Nacional.

O “último avistamento” do pescador, na zona costeira entre Vila Praia de Âncora e a praia de Moledo, foi registado pelas 10:00 de segunda-feira, revelou o capitão do porto de Caminha.

“Decidimos alargar a área de buscas para a eventualidade de sair desta localização. Sem descartar que ele possa não estar aqui. Os indícios apontam que tenha estado a praticar pesca lúdica entre o portinho de Vila Praia de Âncora e o início de praia de Moledo”, afirmou.

O facto de a viatura do pescador ter sido encontrada no percurso entre Vila Praia de Âncora e Moledo, a “cerca de 200 metros da linha de costa”, foi “um dos fatores” que levou as autoridades “a concentrar os esforços de busca” naquele local neste local.

Antes do alargamento das buscas feito pelas 15:00 até à praia de Afife, as operações de salvamento decorriam entre a praia de Moledo e o Forte do Cão, em Vila Praia de Âncora, concelho de Caminha, “até cerca de uma milha e meia da costa”, o equivalente a “cerca de três quilómetros”.

“Face às condições meteorológicas e deriva, tudo indica que, a aparecer, será nesta zona”, observou o comandante.

Iniciadas na noite de segunda-feira e retomadas na manhã de hoje, as buscas vão continuar “até que as condições o permitam”, na expectativa de, perto da meia noite, com a baixa mar, “incidir mais próximo da linha de água” e com “capacidade de avançar mais em profundidade”.

“Eventualmente, no momento do incidente, a probabilidade é que também estava maré baixa”, afirmou Vieira Pereira.

A barra do porto de Caminha estava encerrada à navegação na segunda-feira devido às condições meteorológicas e foram abertas hoje pelas 15:00, acrescentou.

A vigilância está a ser feita por tripulantes da Estação Salva-vidas de Viana do Castelo (por mar) e elementos do Comando-local de Caminha, bem como da GNR e dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora (por terra), tendo também contado, até ao início da tarde, com um helicóptero da Força Aérea.

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) revelou hoje estar a efetuar buscas por um pescador lúdico, que se encontra desaparecido “depois de alegadamente ter saído para exercer a atividade da pesca lúdica apeada na zona costeira de Moledo, entre a praia de Moledo e a Capela de Santo Isidoro, no concelho de Caminha”.

Em comunicado, a AMN refere que “o Gabinete de Psicologia da Polícia Marítima foi ativado e encontra-se a prestar apoio aos familiares da vítima”.

A AMN relata que as buscas foram iniciadas na sequência de um alerta recebido pelas 21:30 de segunda-feira, feito “através da GNR, que recebeu um contacto de um familiar da vítima a dar conta que o homem teria saído de casa para pescar e não tinha regressado”.

“Foram de imediato ativados para o local elementos do Comando-local da Polícia Marítima de Caminha para efetuar buscas por terra”, assegura a AMN.

Lusa

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Mais Populares