12 C
Caminha Municipality
Quarta-feira, 30 Novembro, 2022
spot_img
InícioNotíciasDistritoViana do Castelo: Reativada vigilância e socorro nas praias do concelho

Viana do Castelo: Reativada vigilância e socorro nas praias do concelho

A vigilância e socorro nas praias do concelho de Viana do Castelo foi reativada até final de setembro, estando a ser preparada uma proposta para que o serviço seja alargado a todo o ano, adequado as necessidades meteorológicas.

A informação foi avançada esta terça-feira à agência Lusa pela vereadora do Planeamento e Gestão Urbanística, Proteção Civil, Ambiente, Transição Climática e Mobilidade, Fabíola Oliveira, à margem da reunião ordinária do executivo municipal.

A responsável adiantou que a nova proposta de vigilância da frente marítima do concelho ainda está a ser trabalhada e quando a proposta estiver concluída será submetida à apreciação do executivo municipal.

A possibilidade de prolongamento da vigilância balnear foi levantada pela vereadora do CDS-PP, Ilda Araújo Novo, durante o período antes da ordem do dia, da reunião ordinária do executivo municipal, na sequência de um acidente com o menino na praia de Afife.

Na altura, à agência Lusa, o capitão do porto de Viana do Castelo relatou que a criança “foi deixada pelos pais sentada na areia, junto à agua, enquanto foram ao banho”, tendo pouco depois ”dado com ela deitada na areia, possivelmente após ter sido atingida por uma onda, e inanimada”.

Depois de ter sido assistida no local, com o apoio da Coordenada Decimal [Associação de Nadadores Salvadores], Silva Lampreia adiantou que o menino foi conduzido “por precaução” ao Hospital de Viana do Castelo, confirmando que a “criança se encontrava bem”.

Quando questionado pela vereadora da CDS-PP, o presidente da Câmara de Viana do Castelo referiu que o assunto já está a ser preparado. “Na última sexta-feira, a vereadora Fabíola Oliveira, esteve a falar comigo e informou-me dos contactos que estava a fazer para estender a vigilância ou durante o ano inteiro, ou aos fins de semana, caso as condições meteorológicas o justifiquem”, explicou o autarca.

Luís Nobre referiu que na época balnear que terminou no passado dia 11, “o município investiu mais de 300 mil euros em vigilância nas praias” do concelho. “Não deve haver muitos exemplos, a nível nacional, do esforço que o município faz para assegurar a vigilância nas praias”, afirmou, garantindo que o município “cumpriu a lei”.

“A nossa missão é criar condições para estarmos preparados, em termos operacionais, para garantir segurança na nossa frente atlântica, porque as pessoas visitam as nossas praias 365 dias, por ano. Em fluxos, absolutamente distintos, mas a segurança é essencial para garantir uma relação e fruição mais prolongada e efetiva com a nossa frente atlântica”.

“Estamos disponíveis para trabalhar e garantir essa segurança na fruição das nossas praias”, acrescentou.

Em nota enviada à imprensa em junho, a Câmara de Viana do Castelo informou que o investimento na segurança balnear e valorização ambiental das praias fluviais foi de cerca 324 mil euros.

Os protocolos que acontecem no âmbito da época balnear foram iniciados em 10 de junho, após aprovação em reunião de executivo. A “maior fatia daquele montante destinou-se ao protocolo de colaboração entre o município e a Coordenada Decimal – Associação de Nadadores Salvadores, atingindo uma verba global de 276.605 euros”.

O protocolo visava “garantir a salvaguarda da segurança de utentes e praticantes de desportos náuticos nas águas balneares designadas de Viana do Castelo e em águas com prática balnear conhecida, embora não designada, como Rodanho e Argaçosa, durante a época balnear de 2022”.

“Tendo em conta a extensão de costa a vigiar (incluindo extensos troços não designados, embora com frequência balnear) e os meios humanos e técnicos envolvidos na operação, é ainda necessário garantir um centro móvel integrado de vigilância, socorro e salvamento para apoio/resposta a qualquer solicitação de emergência e por forma também a segurar a prática de desportos náuticos em águas não balneares”, é referido no documento.

O protocolo visava a “salvaguarda da segurança nas praias marítimas e fluviais Ínsua, Afife, Arda/Bico, Paçô, Carreço, Norte, Cabedelo, Cabedelo/Luziamar, Rodanho, Amorosa 1, Amorosa 2, Castelo de Neiva, Argaçosa e Foz do Lima entre 10 de junho e 11 de setembro”.

Abrangia ainda “salvaguardar a segurança dos utentes e praticantes de desportos náuticos nas praias vigiadas e não vigiadas, um centro móvel integrado de vigilância, socorro e salvamento que dará apoio/resposta a qualquer solicitação de emergência”.

Foi “ainda estabelecido um protocolo de colaboração para alojamento de Nadadores Salvadores entre a Câmara Municipal e a Junta Regional do Corpo Nacional de Escutas de Viana do Castelo, no valor de 9.552 euros, dando assim resposta ao alojamento necessário para os nadadores salvadores de fora do concelho”.

Os profissionais ficaram assim alojados nas camaratas da Junta Regional do Corpo Nacional de Escutas de Viana do Castelo, em Darque.

Foi “ainda celebrado contrato de comodato para utilização de moto 4X4 ao longo da época balnear, sendo que o quadriciclo pertence à autarquia e irá ser cedido à Associação de Nadadores Salvadores para ser utilizado na segurança balnear, em especial no patrulhamento do extenso areal que separa das praias de Ínsua, Afife e Arda, reforçando a segurança de centenas de banhistas que optam por esta zona não vigiada”.

Cidália Aldeia
Cidália Aldeia
Chefe de Redação
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Mais Populares