Em 2 Outubro, 2018 Por Em Caminha

Lions Clube de VPA promoveu encontro sobre o tema território

O Lions Clube de Vila Praia de Âncora realizou um Encontro do Património, no passado dia 29 de Setembro, no Auditório do Museu Municipal de Caminha.

O evento, intitulado Território – Olhares Críticos, juntou um grupo de oradores que reflectiram sobre formas de olhar, pensar e actuar sobre o Território.

Desde as intervenções no património no concelho de Caminha pelo arqueólogo Sérgio Cadilha, passando pela apresentação do trabalho de dois jovens coletivos de arquitetos, o Space Transcribers, pelo arquiteto Daniel Duarte Pereira e o The Very Collective, apresentado pela arquiteta Margarida Amial, até à fotografia e ensaio sobre a paisagem portuguesa pelo geógrafo e professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto Álvaro Domingues, através do seu último livro “Volta a Portugal”, este Encontro foi um espaço com reflexões abrangentes e visões inclusivas.

Esta iniciativa pretendeu responder ao apelo de participação feito pela União Europeia no âmbito deste Ano Europeu do Património Cultural 2018, envolvendo as organizações, as comunidades e os cidadãos na procura de novos olhares sobre o património, dando-lhe uma nova visibilidade e reconhecendo a sua importância.

Deste Encontro ressaltaram as seguintes Conclusões:

TERRITÓRIO é a manifestação física das dinâmicas sociais, políticas e económicas: passadas, presentes. Em suma, uma produção cultural.

PATRIMÓNIO é todo esse legado construído, material ou imaterial, essencial para entender o passado, assimilar o presente e, a partir daí, pensar o futuro.

As apresentações permitiram identificar dois modos de intervenção: ANÁLISE e ACÇÃO, complementares e indissociáveis entre si.

ANÁLISE

O trabalho exaustivo de inventariação, classificação e requalificação do património do concelho de Caminha permitiu a reflexão sobre a importância da preservação do passado e de todo esse espólio cultural, essencial para compreender a contemporaneidade do que somos – Sérgio Cadilha;

A “Volta a Portugal” de Álvaro Domingues permitiu uma leitura sobre as rápidas transformações do território português, o “último rural da Europa”, que passou do pré-moderno ao pós-moderno sem nunca ter conhecido a modernidade. O absurdo e o caos demonstrado pelas suas fotografias serviram como pontes de discussão dos mitos da ruralidade e urbanidade, das paisagens e da identidade portuguesa.

Leitura da realidade de forma descomplexada, sem romantismo ou saudosismo, de forma a entender as transformações territoriais em curso e a descodificar a complexidade das suas dinâmicas – Álvaro Domingues;

ACÇÃO

Partindo da realidade específica de três bairros de etnia cigana na Cidade de Braga houve que conhecer ativamente as realidades, através de um trabalho de campo intensivo e imersivo, muito perto da sua comunidade.

Aponta-se o desenvolvimento de instrumentos de intervenção específicos e multidisciplinares, contrariamente a abordagens genéricas e simplistas que desconhecem realidades e aplicam soluções gerais abstratas – Daniel Duarte Pereira; e

Através da explicação do processo e das considerações no desenvolvimento de uma intervenção arquitetónica específica, foi demonstrado o impacto físico da arquitetura na construção do território e o seu poder interventivo e transformativo.

Foi defendida a necessidade de inserir uma componente crítica no desenvolvimento de cada projeto, dando lugar a arquiteturas que não só estimulam, como materializam o debate continuado sobre os modos de pensar o território – Margarida Amial.

O Lions Clube de Vila Praia de Âncora continuará a promover fóruns, como este, para livre e ampla discussão de assuntos de interesse público.

 

 

 

 

 

 

 

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação