Em 12 Setembro, 2018 Por Em Caminha

C.M. de Caminha vai abrir concurso para regularizar 45 funcionários em situação precária

O executivo caminhense aprovou hoje, com as abstenções do PSD, submeter à Assembleia Municipal os termos do procedimento para regularização extraordinária de vínculos precários.

O objetivo, como explicou Miguel Alves, é regularizar a situação de pessoas que prestam serviços à Câmara de Caminha, algumas delas há vários anos.
Para o presidente da autarquia caminhenses, trata-se acima de tudo de fazer justiça a esses trabalhadores. O concurso é especial e abrange trabalhadores em situação especifica.

Ao todo são 55 funcionários para preencher 45 vagas, 38 operacionais, 4 assistentes técnicos e 3 técnicos superiores.

A admissão destes 45 funcionários para os quadros da câmara é, segundo o presidente da Câmara um esforço muito grande do ponto de vista orçamental, mas é também um investimento no concelho e sobretudo nas pessoas.

Câmara de Caminha prepara concurso para regularizar 45 funcionários em situação precária.

Os vereadores da oposição abstiveram-se por considerarem tratar-se de um ato de gestão do município. Os vereadores sociais democratas admitiram que a maioria do pessoal quis funcionários que vão entrar para o quadro são necessários, nomeadamente o pessoal afeto as escolas, no entanto questionou alguns técnicos superiores.

A oposição lembrou ainda as criticas feitas por Miguel Alves ao anterior executivo por ter admitido funcionários, sublinhando que agora está precisamente a fazer a mesma coisa.

A vereadora Liliana Silva acrescentou que no passado o PS votou sempre contra este tipo de propostas “mas nós não o vamos fazer, vamo-nos abster”, atirou.

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação