Em 8 Janeiro, 2019 Por Em Desporto, Viana do Castelo

Viana do Castelo acolhe primeiro Campeonato Europeu de Surf Adaptado

No mês de maio, Viana do Castelo vai receber o Campeonato Europeu de Surf Adaptado (Eurosurf Adaptive 2019), sendo esta a primeira vez que a prova se vai realizar em Portugal e na Europa. Foi assinado, ontem, o protocolo entre a Federação Europeia de Surf, Federação Portuguesa de Surf (FPS), Surf Clube de Viana e a Câmara Municipal de Viana do Castelo para que a Praia do Cabedelo acolha o campeonato entre 20 e 26 de maio.

Na cerimónia da assinatura do contrato estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, a Federação Europeia de Surf, Federação Portuguesa de Surf, Surf Clube de Viana, o comandante da Capitania de Viana do Castelo, o diretor regional do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDV) e ainda o vereador do desporto da autarquia vianense.

A assinatura aconteceu no mesmo fim-de-semana em que Viana do Castelo foi palco do Campeonato Nacional de Surf Esperanças sub-16 e sub-18.

Quem deverá marcar presença neste campeonato será a atleta vianense Marta Jordão Paço. A jovem, de 13 anos de idade, cega de nascença, conquistou, no passado mês de dezembro, a medalha de bronze no ISA World Adaptive Surfing Championship, que decorreu na Califórnia, nos Estados Unidos da América. A atleta formada no Surf Clube de Viana fez do leque restrito de três portugueses que participaram neste campeonato do mundo.

Atualmente, são 12 os jovens com necessidades especiais que frequentam as aulas de surf do clube vianense. No que toca à inclusão pelo desporto, no primeiro trimestre do ano letivo 2018/2019 o projeto “Náutica para Todos”, promovido pela Câmara Municipal, chega a 6 agrupamentos escolares, abrangendo um total 39 alunos. A iniciativa inclusiva nasceu em 2016/2017, como parte integrante do inovador projeto camarário “Náutica nas Escolas”, onde os alunos praticam, curricularmente, atividades náuticas de surf, canoagem, remo e vela.

O “Náutica para Todos” perspetiva a inclusão nas atividades curriculares de expressão físico motora de atividades adaptadas em todas os estabelecimentos de educação e ensino dos agrupamentos, proporcionando aos alunos portadores de incapacidade e deficiência a prática incluída na respetiva aula. Esta perspetiva de igualdade de oportunidades a todos os cidadãos assenta na interação entre o município, a APPACDM e os agrupamentos de escolas.

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação