Em 13 Junho, 2018 Por Em Valença

Valença recebe I Fórum do Rio Minho Transfronteiriço

A Escola Superior de Ciências Empresariais – IPVC de Valença (Portugal), acolherá o próximo dia 21 de junho a realização do I Fórum do Río Minho Transfronteiriço, onde se darão a conhecer e as primeiras conclusões e estudos preliminares sobre a elaboração da estratégia de cooperação inteligente do Rio Minho Transfronteiriço, na que se leva trabalhando desde algum tempo no âmbito do projecto Smart Miño, co-financiado pelo Interreg III A. Assim o apresentou o Diretor do AECT Río Minho, Uxío Benítez, num ato celebrado esta manhã em Valença, que esteve acompanhado pelo presidente da câmara municipal de Valença, Jorge Mendes, e pelo o director da Fundación Centro de Estudos Euro Rexionais (FCEER), Valerià Paül Carril.

Jorge Mendes, Presidente da Câmara Municipal de Valença, começou por destacar a importância da realização deste fórum em Valença, apelando à participação ativa dos agentes do território neste processo de planeamento estratégico; destacou ainda bem a oportunidade que este trabalho pode ter na avaliação do grau de aplicação das verbas do Programa Interreg nas regiões fronteiriças.

Segundo indicou Uxio Benítez, o I Fórum do Rio Miño Transfronteiriço será um passo mais e de grande importância dentro da elaboração da “Estratégia de Cooperação Inteligente do Rio Minho Transfronteiriço”, um documento que “estabelecerá os eixos gerais e objectivos específicos para um desenvolvimento conjunto baseado na utilização e promoção dos recursos endógenos, e na cooperação inteligente entre atores institucionais e sociais de ambas as margens do rio”.

Insistiu que o Fórum é o espaço onde “queremos dar voz a todo o tecido social e económico do territorio, ouvir as suas propostas, ideias e análises a partir da sociedade civil” e que a participação dos cidadãos é fundamental para continuar a elaborar o documento “desde abaixo e de modo a que se recolham todas as inquietudes da sociedade civil”.

Nesta mesma questão incidiu o director da Fundación Centro de Estudos Euro Rexionais, (FCEER), Valerià Paül Carril, que reconheceu que apesar do rigoroso traballo realizado pelas 6 universidades que abrangem a FCEER e o trabalho realizado pelos especialistas, a participacão cpública é indispensável para a elaboração deste documento estratégico. Por esta razão, está também prevista a realização de processos participativos através dad redes sociais e da página web www.smartminho.eu.

O diretor da AECT Río Minho, Uxío Benítez terminou destacando também a relevância deste documento no momento de aceder a novos financiamentos através de candidaturas aos Fundos de Europeus de Desenvolvimento (FEDER) no horizonte post 2020.

Smart Minho está cofinanciado em 75% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A España-Portugal (POCTEP) 2014-2020 e conta com um orçamento total de 942.022,47 euros.

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação