Em 8 Agosto, 2018 Por Em Desporto, Mar

Ondas insuficientes adiam Finalíssima Feminina do Nacional de Surf Esperanças

As finais e as meias-finais do Campeonato Nacional de Surf Esperanças Sub-16 e Sub-18 foram adiadas, pela direção técnica da prova, por falta de ondas no domingo passado, último dia da competição, na praia da Arda, em Viana do Castelo.

A nova data será agendada ainda este ano, de acordo com a disponibilidade das atletas e dos organizadores da prova: o Surf Clube de Viana (SCV) e a Federação Portuguesa de Surf (FPS).

O top 32 nacional do surf feminino esperanças participou nesta Finalíssima, a primeira prova do Viana Surf City Fest.

Quanto à prestação das atletas do SCV, Mariana Gonçalves (Sub-18) ficou pelo Round 3, muito próximo da qualificação para as meias-finais, e Raquel Otero (Sub-16) mantém-se na luta pelo título nacional.

No CNSE, o CAR Surf de Viana esteve ao serviço da modalidade. As atletas ficaram alojadas neste espaço, onde realizaram treino físico, contribuíram para a recolha de dados para um estudo científico e, sobretudo, confraternizaram, deixando a competição para o tempo efetivo de prova.

O campeonato teve transmissão “live” com o apoio do Curso Profissional de Técnico de Audiovisuais, da Escola Secundária de Santa Maria Maior.

“Esta parceria local assumiu grande importância para o clube. Aproveito para agradecer à Escola Secundária de Santa Maria Maior a disponibilidade”, refere João Zamith, Presidente do SCV.

O clube homenageou o surfista Henrique Balsemão, pai de Concha Balsemão, atleta chamada a esta Finalíssima.

“Esta homenagem aconteceu pelo notável contributo que Henrique Balsemão tem dado ao desenvolvimento e à promoção do surf a uma escala nacional. É uma figura incontornável da modalidade. Foi, entre outras coisas, um dos fundadores da revista Surf Portugal e do programa televisivo Portugal Radical e manteve sempre uma ligação a Viana”, diz João Zamith.

“Sempre tive uma ligação forte a Viana do Castelo e ao SCV. Fui sempre bem recebido, por isso apreciei muito esta homenagem”, avança Henrique Balsemão.

“O SCV fez sempre um bom trabalho e tem tido um papel fundamental no desenvolvimento organizativo da modalidade. O facto das atletas terem ficado no CAR Surf em modelo estágio funcionou muito bem para a aproximação entre elas, sendo um bom exemplo da dinâmica do clube”, acrescenta.

Francisca Veselko, filha de Filipa Leandro, está apurada para a final em Viana do Castelo, tanto em Sub-16 como em Sub-18.

Filipa Leandro, que faz parte da primeira geração de surfistas portuguesas, escreve livros infanto-juvenis. “Vem Surfar com a Pipa, Jaime e Kika!” é a designação da sua coleção sobre surf.

O seu livro sobre Viana do Castelo e o surf terá apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

O SCV agradece ao Instituto Português do Desporto e Juventude, à Fundação do Desporto, à Câmara Municipal de Viana do Castelo, à Capitania do Porto de Viana, Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior, à World Surf Cities Network, à Roxy, à Jenny&Carmie, à Viana Segura e LS Boards.

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação