Economia

O Relatório de Prestação de Contas 2015 foi aprovado, em reunião de vereação, e vai ser submetido à apreciação e votação pela Assembleia Municipal. A Câmara adianta, em comunicado, que as contas do Município “continuam de boa saúde”, resultado de um grande esforço, rigor e racionalização autárquica em prol dos cerveirenses que residem e investem no concelho, pensando no desenvolvimento sustentável para o futuro. Ainda de acordo com a mesma nota, o executivo tem consolidada a implementação de uma política fiscal centrada nas pessoas através da aplicação do nível maisLer mais
A Câmara Municipal, o Instituto Politécnico e a Associação Empresarial de Viana do Castelo assinaram ontem o protocolo para a instalação da ITEN Solutions SA na Incubadora Tecnológica de Viana do Castelo. Trata-se da primeira empresa a instalar-se na incubadora com um centro de competências, num investimento de 1 milhão de euros que prevê criar 100 empregos, nos próximos três anos. Esta empresa vai agora instalar-se num espaço criado na sede da AEVC, na Praça 1.º de Maio, arrancando com 16 jovens engenheiros formados em Viana do Castelo, sendo queLer mais
O Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais vai estar esta sexta-feira  na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana. Fernando Rocha Andrade vai para apresentar “Os Novos Desafios da Fiscalidade”, numa Conferência agendada para as 16h30, a acontecer no Auditório Francisco Sampaio. A iniciativa é aberta ao público em geral. Fernando Rocha Andrade é doutorado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, na especialidade de ciências jurídico-económicas. É professor da Universidade de Coimbra desde 1995. Foi Subsecretário de Estado da Administração Interna no XVII GovernoLer mais
A Câmara de Monção  aprovou, por maioria, a prestação de contas de 2015. O documento, com quatro votos a favor (PS e CDS/PP) e três abstenções (PSD), será agora analisado e votado em sessão da Assembleia Municipal do dia 25 de abril. De acordo com a autarquia monçanense, no exercício de 2015 assistiu-se a um aumento da receita corrente de mais de 650 mil relativamente ao exercício de 2014, devendo-se, em grande parte, ao desempenho dos impostos diretos (IMI, IUC, IMT). No lado oposto, está a receita de capital, ondeLer mais
A Câmara Municipal de Valença vai devolver 50% do IRS do município aos valencianos, residentes no concelho, abdicando, assim, daquele valor. No momento em que recebem o reembolso do IRS as famílias valencianas podem contar com aquele desconto, na coleta líquida, à semelhança do que aconteceu no ano transato. Segundo a informação disponibilizada pela autarquia de Valença no ano passado a câmara municipal “abdicou, a favor das famílias, de 158 mil euros”. O concelho permite às famílias, também, descontos sobre a taxa do I.M.I., entre 10% e 20%, em funçãoLer mais
A Câmara Municipal da Ponte da Barca aprovou, em reunião do executivo, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2016, que ascende a mais de 16 milhões de euros. Comparativamente com o ano de 2015, representa uma diminuição de cerca de 12.72%, em resultado do impasse que se verifica no novo quadro comunitário (2020), e na diminuição que se verifica na arrecadação de receita. O documento será depois apresentado em Assembleia Municipal para aprovação final. O documento define as prioridades e investimentos em várias áreas, prosseguindo com os objetivosLer mais
A Câmara de Valença avança com um Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2016, onde se destaca a aplicação do I.M.I. Familiar, reforçando as medidas de apoio social às famílias. As famílias com filhos, residentes no concelho de Valença, com 1 ou mais filhos serão os grandes beneficiados da medida que permitirá descontos no I.M.I. entre 10% e 20%. O I.M.I. familiar permite às famílias com um dependente um desconto sobre a taxa do I.M.I. de 10%, com dois dependentes de 15% e quando os dependentes são três ouLer mais
A Câmara Municipal de Viana do Castelo conseguiu, desde 2010, diminuir a sua dívida em 28 por cento, ou seja, conseguiu reduzi-la em cerca de dez milhões de euros. Esta constatação, que consta do Plano de Atividades e Orçamento para 2016, confirma o êxito da política autárquica de redução da despesa, numa gestão financeira de rigor e numa boa saúde financeira da autarquia. Assim, o Passivo Exigível Total, no período 31/12/2010 a 15/10/2015, registou uma queda de 28%, ou seja, de aproximadamente dez milhões de euros, graças a uma gestãoLer mais