Em 12 Novembro, 2015 Por Em Opinião

Narrativa Socialista 4

 

 

Com o “Slim Fit” livrou-se da vereadora e das promessas eleitorais!

 

Tivemos no passado dia 04 de Outubro eleições Legislativas onde, e julgo pela primeira vez, todos os principais Partidos concorrentes saíram vencedores. Parece impossível, mas pouco depois de fechada
a contagem dos votos, Portugal estava invadida de Partidos vencedores. Mesmo que algumas vitórias fossem vitórias “morais”, todos clamavam por vitória. Coisa nunca vista! Uns ganham, outros querem governar à força! Mas a nível do nosso Distrito, tivemos um clamoroso derrotado. E esse derrotado tem um nome. Miguel Alves.

Miguel Alves foi o único responsável pela estrondosa derrota do Partido Socialista, quer a nível Distrital quer a nível Concelhio. É o Presidente da Concelhia Socialista em Caminha. Foi um dos responsáveis pela elaboração da lista de Deputados Socialistas para o Distrito de Viana do Castelo e foi o responsável político da estratégia do PS para o Distrito de Viana do Castelo. E tudo o que seria um sonho para o Partido Socialista, ainda a noite de 04 de Outubro não tinha acabado, já tudo estava transformado numa inacreditável derrota e pesadelo! O Partido Socialista perde 9 dos 10 Concelhos do Distrito de Viana do Castelo! Miguel Alves, perde em Moledo, terra onde nasceu! Miguel Alves perde em Caminha, Concelho onde é Presidente da Câmara e, Presidente da Concelhia Socialista! O Partido Socialista só consegue
eleger dois Deputados, quando pensava eleger quatro! Elege Tiago Brandão, natural de Paredes de Coura, que perde na União de Freguesia Coussorado/Linhares, onde nasceu e foi criado. Elege Carpinteira, que embora tenha sido Presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, com a nº 3 da lista PS também de Cerveira, sofre uma estrondosa derrota no seu Concelho!

Deve-se fazer aqui um esclarecimento. O Partido Socialista do distrito de Viana do Castelo enviou para Lisboa uma lista de Deputados, que depois foi radicalmente mudada por Miguel Alves e António Costa, à revelia dos socialistas de Viana do Castelo. Que deu, no que se sabe. Que teve a particularidade de colocar Jorge Fão em quarto lugar, lugar difícil de eleger. Jorge Fão, que não obstante as diferenças politicas, foi um digno representante do nosso Concelho e do nosso Distrito, enquanto Deputado eleito pelo Distrito de Viana do Castelo, e que foi propositadamente relegado por Miguel Alves para um lugar não elegível. Jorge Fão, com um passado e um currículo político que lhe proporcionava todas a condições para liderar a lista Socialista por Viana do Castelo, foi ao cair do pano, substituído pelo inexperiente Tiago Brandão. E agora? Agora nada feito! Pelo cunho de Miguel Alves o PS perde um jogador da casa e Jorge Fão perde toda a influência socialista que sempre teve no parlamento e no Governo.

Como se sabe, o nosso presidente Miguel Alves sempre sonhou um dia pertencer ao um qualquer Governo socialista. Estava a pensar entrar para o Governo de António costa, mas meteu “travões a fundo”. E porquê, pergunta o leitor? Bem, por um lado sabemos que Miguel Alves é advogado de profissão, mas há anos que não exerce. De facto a sua especialidade é o marketing, o mundo dos negócios e desde sempre a politica, que é aliás neste momento e face aos resultados a sua fonte de sustento… Como de Lisboa não vêm boas notícias, a instabilidade política de um governo à esquerda, faz que a qualquer momento um Governo PS/PCP/BE que venha a ser formado, possa desmoronar-se quando as chuvas de Inverno começarem a surgir, e o saco de gatos se assanhar, Miguel Alves, prefere jogar pelo seguro e continuar presidente da câmara de caminha, onde acha que tem o lugar garantido até setembro de 2017, do que lutar por um lugar de secretário de Estado de um Ministério qualquer em Lisboa, com duração duvidosa. Mais vale garantir o certo, do que apostar no incerto. Com meia dúzia de projetos e mais meia de falsas promessas enganamos outra vez os “parolos” de caminha! Para isso e numa jogada de antecipação, mais uma vez sem olhar a meios para atingir fins, sem discutir nos meios próprios, completamente fora de contexto impõe ao partido a sua recandidatura! Mais uma vez, para resolver o problema que ele próprio criou no partido e não fosse o seu próximo problema chamar-se Jorge Fão, pelo sim pelo não, impõe-se como candidato! É que nas próximas eleições para a concelhia socialista de Caminha, Jorge Fão poder-se-ia candidatar ao lugar, ganhar a eleição com uma “perna às costas”, e dizer: sou candidato, a presidente da Câmara de Caminha pelo Partido Socialista, e o PS de Caminha ficava numa“embrulhada”!

Miguel Alves que já está com insónias pela situação financeira em que colocou a Câmara de Caminha ficava em desespero, porque o seu futuro político ficava seriamente em dúvida. É recandidato, enquanto é tempo, para ocupar o lugar e começar a marcar o espaço, não vá aparecerem mais candidatos ao lugar! Sem dúvida que aprende bem as lições com o seu mentor! António costa embora derrotado,
quer ser primeiro-ministro à força e impõe-se ao país! Miguel Alves também derrotado e antes que lhe tirem o único tapete que lhe resta, impõe-se ao partido e recandidata-se! Uma lição de mestria em oportunismo politico! Mas o oportunismo não fica por aqui… ”Enxota” a sua Vereadora Ana são João com o seu orçamento “Slim Fit”, que aliás, num arrojo de coragem e dignidade bate com a porta e se demite, farta de pertencer a um Executivo imaturo e dividido de conversa fiada! Vem agora rasgar-lhe eloquentes elogios, quando de facto nunca lhe deu condições para exercer as suas funções! A Vereadora Ana são João foi “usada” para garantir os votos “dos velhinhos” para o PS ganhar a câmara e depois foi abandonada à sua sorte! Da mesma forma a ex-vereadora, foi agora “empurrada” para fora do executivo,
quando Miguel Alves se fartou do seu desempenho, e do incómodo da sua voz na cobrança das promessas eleitorais feitas, confrontando-a propositadamente com um orçamento para 2016 (o tal orçamento Slim Fit) em que praticamente nada podia fazer nos seus pelouros, porque os mesmos estavam vazios de Euros. Com o “Slim Fit” livrou-se da vereadora e das promessas eleitorais!

A vereadora Ana são João personifica todas as pessoas enganadas com as promessas eleitorais feitas por Miguel Alves e a sua atitude de demissão representa o descontentamento que reina no concelho de caminha, na forma como este Executivo tem desempenhado a sua função. A entrada do novo Vereador Rui Fernandes, próximo politicamente do Bloco de Esquerda, coincide com o panorama nacional de dependência total do PS relativamente ao Bloco de Esquerda e CDU. Não parece um bom auguro!
Quando se aperceber onde está metido, quando verificar a falta de maturidade política deste Executivo liderado por Miguel Alves, e sobretudo quando se aperceber da falta de meios para o desenvolvimento e apoio às áreas sociais para favorecer festas, festinhas e floreados, não deixará também de apresentar a sua contestação e eventualmente a sua demissão. A menos que “outros valores mais altos se levantem”,
não vai lá estar muito tempo!

Agora que definiu o seu futuro, de repente, vemos o presidente Miguel Alves, e candidato a futuro presidente, vestir novamente a camisola de político local! Agora que o seu destino está traçado, é tempo de começar a aparecer em tudo o que é casamentos, batizados, funerais e afins. Numa ânsia desenfreada de recuperar o perdido é tempo de em aparecer em tudo que lhe dê visibilidade e onde veja que pode tirar respectivo aproveitamento político. É tempo outra vez de voltar às promessas! Prometer tudo aqui aos “parolos” que vão “cair” outra vez na sua conversa fiada! Vamos lá prometer outra vez o mercado! Agora em vidro!

Na falta de obra feita, é tempo de se colar às obras dos outros! Foi o que fez quando os Bombeiros de Vila P. de Âncora anunciaram as obras de requalificação do cine-teatro. Miguel Alves apareceu com as televisões atrás dele, dando a entender que ele é que era o grande salvador dos Bombeiros de Âncora e o único responsável pelas obras do cine-teatro. Posicionou as câmaras a seu jeito para que não saísse a público o grande cartaz do Montepio Geral, entidade que verdadeiramente vai financiar a obra, por único e exclusivo mérito da atual Direção! Na falta de ideias e estratégia para o concelho, cola-se às ideias dos outros! Foi o que fez com o dossier Forte da Lagarteira! Aproveitou todo o trabalho feito pelo presidente da Junta de Freguesia de Vila P. de Âncora, Carlos Castro, e fez um protocolo excluindo a Junta de V. P. de Âncora. Em reunião de câmara vangloriou-se de que se não fosse ele, nada teria sido feito! Apropria-se do trabalho dos outos e falta à verdade só para ter visibilidade política e colher os respectivos trunfos. Foi o que fez quando anunciou a candidatura do Estuário do rio Minho a paisagem cultural da Unesco. Pura e simplesmente plagiou uma ideia do PSD e de Flamiano Martins. Como sabemos Flamiano Martins tinha apresentado um plano estratégico e endereçou vários convites para apresentação de uma candidatura conjunta do rio Minho a património Imaterial da Unesco. Uma candidatura abrangente envolvendo todos os parceiros do rio Minho como um todo e alicerçada na força deste património de valor incalculável para o Alto Minho. Miguel Alves só quer a ideia disfarçada e então “finge” uma candidatura do Estuário do rio Minho, assim com um bocadinho de sorte ilude também mais um pouquinho os pescadores…

Temos um presidente da câmara, que como afirma o seu padrinho político, só sabe “pensar poucochinho”! Tentou fazer isso com o Festival de Vilar de Mouros e quase o destruiu! Tentou fazer isso com a Festa da Sardinha e quase a destruiu! Tentou fazer isso com a Feira Medieval e quase a destruiu! Quando paramos para analisar a “atitude” de Miguel Alves percebemos que se faz isto aos seus camaradas e correligionários, que fará aos outros?! Quando pensamos o seu “modus operandis” percebemos que enquanto se fala de um mercado de vidro, feito por alunos, o que Miguel Alves pretende é que não se fale da marginal e da polis!

Este Executivo tem 2 anos de mandato. Peço ao leitor que feche os olhos e que pense numa obra
feita por Miguel Alves e pelo seu Executivo durante este período de tempo. Descobriu alguma?
Depois conversamos.

Rui Taxa

Acerca de

Jornal C