Em 10 Maio, 2019 Por Em Vila Nova de Cerveira

Internacionalização da Bienal de Cerveira em Itália com “expectativas superadas”

Foi com elevada participação italiana que foi inaugurada, no dia 4 de maio, a exposição “Territórios Imaginados” na Sardenha, um marco importante para a internacionalização da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC). Trata-se de um projeto que integra a candidatura “FBAC: The Collection on the road” cujo mote é dar a conhecer a arte contemporânea e a cultura portuguesas. Segundo o presidente da FBAC, Fernando Nogueira: “O balanço é extremamente positivo”.

Separados por cerca de 1500km, Vila Nova de Cerveira e San Sperate são dois territórios com contextos culturais partilhados. Em comum apresentam a revolução cultural que abraçaram nos anos 60 e 70 do século XX. San Sperate e Vila Nova de Cerveira são, há 50 e 40 anos respetivamente, laboratórios de experimentação artística e espaço de encontro, interação e divulgação de ideias para artistas de todo o mundo.

“Com esta estratégia de internacionalização a Fundação Bienal de Arte de Cerveira procura ir ao encontro de novos públicos e, simultaneamente, dar a conhecer e valorizar além-fronteiras a sua importante coleção de arte contemporânea. Este projeto de intercâmbio está a superar as nossas expectativas e será certamente o primeiro de muitos entre a «Vila das Artes» e a «Vila Museu»”, referiu o presidente da FBAC, Fernando Nogueira, por altura da inauguração. A cerimónia de abertura contou também com a presença do presidente da Câmara de San Sperate, Enrico Collu, da superintendente do Ministero per i beni e le attività culturali, Maura Picciau, e do diretor artístico da FBAC, Cabral Pinto.

“O objetivo é propor um olhar sobre a migração contemporânea através da perceção do território, olhar esse que se constrói a partir de 16 artistas de distintas gerações – mas com um território em comum, Portugal – numa narrativa exploratória de possíveis imaginários”, explica a curadora da exposição e investigadora do CITCEM da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Elisa Noronha.

Para além das visitas guiadas dedicadas ao público escolar, o programa de atividades envolveu a pintura de um mural de cerca de 15 metros de largura na vila sarda pelas mãos dos artistas portugueses Acácio de Carvalho, Cabral Pinto, Fernanda Araújo, com a ajuda dos italianos Mariano Corda e Piero Salis. Muito elogiado pelo público, esta foi a primeira intervenção artística com assinatura lusa em San Sperate, que se junta aos cerca de 550 murais já existentes.

De referir que uma equipa da RTP, composta pela jornalista Maria Cerqueira e o repórter de imagem Luís Pinto, esteve a acompanhar a iniciativa em San Sperate.
O projeto “FBAC: The Collection on the road” conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes.

Artistas representados: Ana Maria, Ana Pimentel, António Barros, Bartolomeu Cid dos Santos, Carlos Casteleira, Francisco Tropa, Hélia Aluai, Henrique Neves & Michael Langan, Isaque Pinheiro, Inês Norton, Lauren Maganete, Mário Ambrózio, Martinho Costa, Os Espacialistas, Samuel Rama

Datas: 4 de maio a 30 de junho de 2019
Local: Museo del Crudo, San Sperate, Sardenha (Itália)

Acerca de

Rui Lopes