Em 23 Maio, 2018 Por Em Mundo

Explosão numa pirotecnia em Tui causa uma vítima mortal

A vítima mortal da explosão registada ao princípio da tarde desta quarta-feira em Tui é uma mulher que ficou presa nos escombros da sua casa. O edifício, escreve o jornal Faro de Vigo, acabou por ruir após os danos provocados pela onda de choque. Escreve aquele periódico galego que os vizinhos que abandonavam as casas próximas ainda escutaram os gritos de auxílio da mulher, mas já nada puderam fazer para a socorrer. 

A explosão desta quarta-feira num armazém pirotécnico em Tui teve uma intensidade de tal ordem que quebrou vários vidros na Alfândega de Valença. O relato foi feito à Rádio Vale do Minho pelo presidente da Câmara de Valença, Jorge Mendes, ainda abalado com o poder da onda de choque causada pelo rebentamento. “Aqueles vidros enormes partiram! Isto a quatro quilómetros do local da explosão!”, exclamou o edil valenciano. “A onda de choque veio rio abaixo. Apanhou aquela curva do rio mais favorável à sua propagação para o nosso lado e atingiu aquela zona. Estamos a falar de vidros de grandes dimensões, com resistência a sismos e que desta vez foram afetados”, descreveu ainda Jorge Mendes.

Tudo começou pelas 15h25 quando uma forte explosão num armazém pirotécnico na localidade de Guillarei, em Tui, provocou o alarme em todas as comunidades vizinhas. O rebentamento foi sentido com intensidade do lado português, o que deixou valencianos e também gente de Monção bastante assustada. O cenário levou já a autarquia a emitir um comunicado de apelo à calma. “Não há vítimas mortais nem quaisquer feridos a registar em Valença. Foi uma explosão brutal desse armazém! Há neste momento até dúvidas sobre a legalidade desse armazenamento mas isso é da competência das autoridades espanholas”, disse Jorge Mendes.

 

Texto e Foto: Rádio Vale do Minho

Acerca de

Cidália Aldeia

Chefe de Redação