Em 23 Abril, 2014 Por Em Distrito, Em Destaque

Autarcas reagem ao eventual encerramento de maternidade

As parturientes do município mais a norte de Portugal vão ficar a mais de duas horas da maternidade mais próxima, no Porto ou em Braga, caso o Ministério da Saúde decida avançar com o encerramento da maternidade distrital, que no Alto Minho serve mais de 250 mil pessoas.

Recordo que publicação recente de uma portaria que procurou categorizar as instituições hospitalares e serviços do Serviço Nacional de Saúde em grupos aponta para um hipotético encerramento na Unidade Local de Saúde do Alto Minho das especialidades de Maternidade/Obstetrícia, Neonatologia, Urologia e Endocrinologia.

Os autarcas do Alto Minho começam a reagir à hipótese. O presidente da Câmara de Melgaço, Manuel Baptista, considera que, a concretizar-se, o encerramento da maternidade distrital é uma machadada nas condições de vida das populações e promete reagir para impedir tal decisão.

As parturientes de Melgaço estão neste momento a uma hora de distância da maternidade distrital, em Viana do Castelo, e ficarão a duas horas de distância caso aquele serviço encerre no Alto Minho. Algo que o autarca local considera inviável.

 

O município vizinho de Monção, também a cerca de uma hora de viagem da actual maternidade distrital, no hospital de Viana, protesta contra a hipótese. Augusto Domingues promete luta caso o ministério da Saúde decida concretizar esta possibilidade.

Tags :